2 de dezembro de 2010

a culpa é de todos, menos minha

Quando analisamos nossa vida e nossa situação atual, as dificuldades que passamos, as conquistas, os sonhos realizados, frequentemente atribuímos os fatores que levaram ao sucesso a nós mesmos; e os fatores que nos levaram ao fracasso... ah, a culpa é sempre de alguém, menos nossa.

E até Deus entra na lista dos culpados. Se tudo está indo mal, é porque Deus quis. Uma prova de Deus, que eu não entendo muito o motivo, porque sou somente uma vítima dele. Ou então estou enfrentando um karma de vidas passadas. O fato é que a culpa não é minha. É o universo que conspira pra que tudo dê errado na minha vida. Mas eu não contribuí em absolutamente nada para isso, sou somente uma vítima do universo. Ah, e como sofro!!! Coitadinha de mim, tão injustiçada e infeliz!!!

Se tudo vai bem, é porque Deus me deu forças para chegar aqui. O mérito é meu. Deus apenas me ajudou. Ou então é o fruto que estou colhendo de minhas boas ações nas minhas vidas passadas. O mérito continua sendo meu. Jamais dos outros.

A equação é simples: deu errado? A culpa é do outro. Deu certo? O mérito é meu. Simples, não?

E aí vale colocar a culpa nos pais porque sempre me deram tudo/ porque nunca me deram nada; porque não me deixaram trabalhar aos 18 anos/ porque me obrigaram a trabalhar aos 18 anos. Colocar a culpa nos filhos pelo casamento que não deu certo/ por ter casado; por ter responsabilidades/ por não ter companhia na velhice.

Além de sempre ter um culpado pelos meus fracassos, não consigo esquecer esses momentos catastróficos da minha vida. E aí fico remoendo aquele vestido que minha mãe costurou e que eu odiei e fui obrigada a usar no aniversário de 15 anos; aquela tia chata solteirona que tive que dividir o quarto; aquela discussão com a minha filha porque vendi o carro - e se até hoje não comprei outro, a culpa é dela!

Isso tudo porque é muito difícil encarar a realidade e assumir que a vida é feita de escolhas - nossas, e somente nossas. Diariamente eu escolho ser feliz ou ficar deprimida. Eu escolho remoer o passado ou seguir em frente. E os fracassos e os sucessos dessa vida são resultado das minhas escolhas, da maneira como eu encaro a vida.

Todo mundo erra, todo mundo passa por dificuldades, todo mundo tem um episódio triste para contar da sua vida. Só que ou a gente passa por cima de tudo isso e segue em frente, ou fica parado no tempo, se lamentando, sofrendo, sendo a eterna vítima do mundo. Ah, como sofro!

As pessoas se afastam de mim, e não sei o motivo. Tenho tantas histórias tristes pra contar... Quando me perguntam "tudo bem?", sempre inicio um triste relato de minha triste vida. Não sei por quê ninguém mais me pergunta "tudo bem?". Ah, como sofro! Ninguém quer conversar comigo!!!

Por outro lado, existem pessoas que a gente sabe das dificuldades que passam, e estão sempre com um sorriso no rosto, uma super energia positiva, tiram forças sei lá de onde e quando você pergunta "tudo bem?", a pessoa sempre responde "tudo, e você?".

Responda sinceramente: você prefere estar perto de qual dessas pessoas? Daquela que está sempre com uma história triste pra contar sobre sua vida, ou daquela que está sempre com um sorriso no rosto?

Acredito que a gente atrai tudo de bom e tudo de ruim na nossa vida. Se as coisas não vão muito bem pra você, avalie como você encara a sua vida. Descubra o que você está atraindo para você mesmo.

Aprenda com os seus erros, se fortaleça nas dificuldades, e conte seus episódios tristes como exemplo de superação: superei, passou, já foi. Levanta, sacode a poeira, dá a volta por cima!

A vida a gente vive agora. Quem fica parado no tempo já morreu.

Um comentário:

  1. Prefiro estar do lado da pessoa que responde "tudo bem, e você?". Muito bom o que você escreveu, parabéns, acredito que vejo o mundo de maneira semelhante. Também detesto quando colocam o mérito ou a culpa em alguma cosia, como se o ser humano fosse algo perfeito e blá blá blá...

    ResponderExcluir

Rabisque você também!