7 de abril de 2007

comunicando

É engraçado como os meios de comunicação, ao mesmo tempo, aproximam e afastam as pessoas.

Um e-mail, por mais frio e distante que seja, pode acender uma chama no coração.

Uma sensação gostosa de ser lembrado. Uma ligação pode ser muito mais intensa que um e-mail. Por mais distante que a pessoa do outor lado da linha esteja, como num passe de mágica, parece que ela está do seu lado. Por mais que o silêncio faça parte da chamada. Até porque, às vezes, o silêncio diz muito.

O que preocupa é que, devido aos meios de comunicação, as pessoas esquecem que a intensidade de uma relação está no contato. No convívio. Na troca de olhares.

Através do olhar a gente enxerga a alma do outro. E, por mais que um e-mail ou uma ligação digam muito, nada supera uma troca de olhar.

Porque, se o silêncio diz muito, o olhar diz tudo.