20 de dezembro de 2005

to wash who I am

Às vezes a gente tem vontade de acordar e ver um dia ensolarado, com o céu bem azul e algumas nuvens brancas que parecem algodão. Sentir o cheiro de café fresco, ouvir uma música tipo Antena 1 vindo da cozinha, ou mesmo aquela clássica da Jovem Pam AM (vambora, vambora, tá na hora, vambora, vambora). Sentar pra tomar café sem precisar se preocupar com o tempo ou o que acontecerá depois. Sentir o gosto do pão com manteiga enquanto lê uma matéria interessante no jornal. Dar risada de alguma coisa engraçada, cantarolar uma música, andar descalça pela casa. Receber uma ligação inesperada, um e-mail só pra você, perguntando se está tudo bem e dizendo que sente saudades... Uma lambida de sua cachorra fazendo festa, uma conversa com o seu gato, uma música que é tão bonita que dá até vontade de chorar. Fazer limpeza nas gavetas, nos armários, e jogar um monte de coisa fora, mas também lembrar de muita coisa deliciosa que passou. Dar risada lendo algum bilhetinho perdido, sorrir ou mesmo chorar de saudade pensando em alguém, em algum amigo que ficou no tempo, mas que continua no coração. Lembrar de algum momento que ficou lá atrás, e olhar para o presente e ver tanta coisa que aconteceu e que a gente nem imaginava. Comer uma comida com gosto de infância, um doce gostoso, de preferência com chocolate. Ler um livro que prende a sua atenção e você não vê a hora de chegar ao final. Ou que te faz parar para pensar na magia de tudo que foi, de tudo que é, e de tudo que será. Deitar na cama, olhar o céu, ouvir os pássaros. Ouvir de fundo aquela música maravilhosa de Bethoven. Adormecer. Acordar com as estrelas. Ficar olhando para esses pontinhos brilhantes no céu e deixar a imaginação correr... tentar alcançá-las, ir bem longe. Pensar na grandeza do mistério do universo e de tudo que somos. Na imensidão dos nossos espíritos e em quanto somos minúsculos perante toda a magia que paira sobre o mistério da vida. Ver que o mundo é perfeito com o céu, a terra, a água e o ar. E que o amor completa e faz todo o sentido. Que sem amor, o céu seria somente céu; a terra seria apenas terra; a água seria simplesmente água; o ar seria só ar. Mas com o amor, esses elementos que parecem tão simples, se tornam o mundo em que vivemos, com toda essa magia que nos cerca. Talvez o amor dê sentido ao mundo. E sem amor, estaremos acabados.

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Rabisque você também!