20 de julho de 2003

poema

Não sou poeta
mas um dia já fui.
Sabia exatamente
como no papel me expressar.
Sabia comparar
um sorriso a um dia de luz.
Sabia sabiamente
como definir um olhar.
Hoje em dia fico assim:
olho para a lua e nem me importo com o céu
olho para o mar sem me importar com a areia.
Quando te vejo sinto cheiro de jasmim
vejo milhares de flores onde é só papel
e do futuro quero você pra vida inteira.

Escrito em 2000.

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Rabisque você também!